A inconstitucionalidade do Enem

 
Se você acessou essa página, mas não vai se dispor a ler a representação judicial contra o INEP, perde a oportunidade de entender melhor como vem acontecendo a doutrinação ideológica na educação brasileira. O documento a seguir, o qual fiz questão de examinar cautelosamente, é um pequeno exemplo de como “engenheiros culturais” utilizam as ferramentas do ensino para influenciar ideologias que se não forem “aceitas”, serão instrumento de exclusão e privação de liberdades contra àqueles que forem contrários a elas.

Segue:

“Leia AQUI a
representação que será enviada pela Associação Escola sem Partido às
unidades da Procuradoria da República nos 27 estados da federação,
demonstrando a inconstitucionalidade da exigência do respeito aos “direitos humanos”, na prova de redação do Enem/2015. 
Confiamos (?) no Ministério Público para promover, por meio da ação
civil pública, a defesa da neutralidade política e ideológica do Estado e
da liberdade de consciência e de crença dos estudantes brasileiros.”