Fazer aborto é como mandar “contratar um assassino profissional”, diz Papa Francisco

Fazer aborto é como mandar "contratar um assassino profissional", diz Papa Francisco

Uma declaração contundente do Papa Francisco contra a prática do aborto parece não ter tido a devida repercussão na grande mídia, o quanto poderia. O pontífice participou de uma uma conferência pró-vida no Vaticano no último sábado (25) e aproveitou para criticar duramente o assassinato “legalizado” de bebês no ventre materno.

“É justo eliminar uma vida humana para resolver um problema? É justo contratar um assassino para resolver um problema?”, declarou o papa, explicando que a sua posição não se trata apenas de fé, mas de ética. “Não falem de religião quando se trata de uma questão humana”, acrescentou.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

“Nenhum ser humano pode ser considerado incompatível com a vida”, disse ele, criticando também o aborto nos casos de deficiência física ou má-formações, como a microcefalia. Francisco argumenta que mesmo com pouca expectativa de vida, esses bebês devem fazer parte da experiência de vida dos pais.

“Cuidar dessas crianças ajuda os pais a passar pela experiência do luto e não apenas pensar nisso como uma perda, mas como um passo no caminho tomado juntos”, disse ele, advertindo também os médicos para não realizarem o aborto.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

O Papa também frisou que mesmo com um diagnóstico ruim, há casos em que a evolução de uma doença ocorre de forma diversa, o que daria uma chance de vida aos recém-nascidos. “Acredita que a evolução de cada doença é subjetiva e nem sempre os médicos sabem com frequência como ela se manifestará em cada indivíduo.”, disse ele.